Notícias

Segurança confessa ter matado Rayane após oferecer carona em Guararema

Michel Flor da Silva, de 28 anos, foi preso na noite de terça-feira (30) pelo assassinato de Rayane Paulino Alves, de 16 anos.

Ele trabalha como segurança na rodoviária de Guararema e confessou que matou a jovem depois de ter oferecido uma carona. A polícia também o acusa de estupro, mas Michel alega que a relação sexual ocorrida foi consensual.

De acordo com a investigação conduzida até aqui, Rayane teria saído da festa em Mogi das Cruzes e pegado carona com um motorista de aplicativo até Guararema.

Michel contou aos policiais que viu a adolescente sozinha e se ofereceu para levá-la até a casa dela. “Ele diz que encontrou Rayane no terminal rodoviário de Guararema e ela estava meio cambaleando.”, explica o delegado delegado Rubens José Ângelo.

O delegado acredita que a jovem foi violentada em Jacareí, onde o celular foi encontrado, perto de um lago. Depois, o homem levou a jovem para a área de mata em Guararema, onde o corpo foi encontrado. Ali, ele asfixiou a vítima usando um cadarço.

Imagens do circuito de monitoramento de Guararema auxiliaram os policiais na investigação. A Justiça decretou a prisão temporária de Michel, que vai responder por homicídio qualificado e pelo crime de estupro.

Na manhã desta quarta-feira (31), o delegado deve conceder uma nova entrevista coletiva a respeito do caso. Mais informações em breve.

Leia também:

Luto em Mogi: mãe confirma que corpo encontrado é de Rayane

Vídeo: último telefonema de Rayane foi um pedido de socorro ao 190

Vídeo: os últimos momentos de Rayane antes do desaparecimento em Mogi das Cruzes


Compartilhe!